Outros


Como todos já devem ter repardo, o Infoteen tem estado bastante parado. Uma das razões, entre outras, é porque me pergunto se valerá a pena continuar com o projecto. Haverá um número razoável de pessoas interessadas? Valerá a pena os moderadores continuarem com notícias que já se vêm noutros sítios?

A revista There Was A Story também chegou a uma pausa, quase pela mesma razão. Tivemos tão poucas respostas em relação à mudança para site, que a mesma dúvida surgiu. Mesmo assim iremos pensar no assunto e talvez haja notícias em breve.

Em princípio haverá pelo menos uma entrevista nas próximas semanas.

Qualquer opinião que queiram deixar, sejam bem-vindos!

A Warner Bros. Interactive e a Snowblind anunciaram recentemente algo que vem ao encontro de muitos dos interesses de todos aqueles que gostam de jogos de consola e que gostam, especialmente, da série que já se tornou um clássico da nossa literaltura e cinema: The Lord of The Rings.

Sim, a Snowblind está a desenvolver um jogo sobre ‘O Senhor dos Anéis’, que tem data de lançamento prevista para 2011 e que poderá ser jogado na PS3, XBOX360 e PC. O jogo, com o subtítulo ‘War in the North’ permitirá, além de acção individual do jogador, acção multiplayer épica através de um modo online que promete ser inovador. O jogo irá centrar-se na luta contra as forças negras do Senhor das Trevas (Sauron), nas Terras do Norte e em outros locais que nós já conhecemos dos filmes de Peter Jackson. Cabe ao jogador escolher que raça é que quer representar (anões, elfos e humanos), sendo que cada um terá um desenvolvimento diferente, assim como habilidades e armas próprias.

O Infoteen publicará mais informações sobre este jogo logo que estiverem disponivéis. Até lá, podem aguardar ansiosamente com o Teaser Trailer do Jogo que também já está disponível:

Fontes:
IGN
Nomeações
Melhor Actriz Secundária
Melhor Direcção Artística
Melhor Guarda-Roupa
Melhor Música

O filme ‘Nine’, dirigido por Rob Marshall, marcou presença nos cinemas portugueses no início deste ano. Assisti ao filme logo no fim-de-semana de estreia, não só porque o enredo da história me captou o interesse mas também porque reunia um conjunto de actores de renome, entre eles Nicole Kidman e Judi Dench.

Porém, saí da sala de cinema um pouco decepcionado com o que vira, talvez devido principalmente à criação de expectativas muito elevadas que, de certa forma, não foram correspondidas. Para quem não viu o filme, fica a saber que toda a história se concentra numa única personagem principal, Guido Contini (interpretado por Daniel Day-Lewis), um realizador italiano que sofre uma espécie de bloqueio criativo que o impede de realizar filmes sensacionais como aqueles que marcam o início da sua carreira. Seguindo-o de perto, parece que mergulhámos nos estúdios do cinema para nos sentarmos ao lado de Guido, na cadeira do realizador.

Guido, o protagonista, reflecte uma espécie de confusa decadência: outrora foi uma lenda entre os cineastas, mas agora não passa de um homem no meio da vida, envelhecido, com a barba por aparar e com os cabelos grisalhos a roubar a juventude. Agravando-se, permanece preso a um bloqueio criativo que o impede se recuperar a fama, desmotivado pela pressão da realização de um novo filme que ele não consegue criar. Sente-se doente por ter de encarar a comunicação social, sem palavras que respondam às expectativas do seu novo filme e, principalmente, sentindo-se a abafar pela necessidade de cumprir um compromisso.

Entretanto, Guido tem também uma queda para amar demais, sempre influenciado por mulheres, que estão sempre atrás de si e que tanto lhe dão equilíbrio como o disturbam: Sophia Loren veste a pele da sua mãe; a sua esposa, Louisa, é interpretada pela actriz francesa Marion Cottilard; a prostituta que, em criança, lhe ensinou a ser um italiano e a amar é interpretada por Fergie, que dá voz ao tema principal do filme; a sua musa inspiradora, é interpretada por Nicole Kidman; a sua amante, por Penélope Cruz…

Avaliando agora o filme, considero que um dos seus pontos positivos é que sentimos a desordem que vai na cabeça de Guido. Percebemos que ele sente que, gradualmente, vai perdendo tudo aquilo que construiu ao longo de toda a sua vida, percebendo que, de certa forma, o pagamento do sucesso e da fama é prestado pela passagem do tempo, que há um dia para o auge e outro para o declínio e que no fim, resta-nos somente o maço de cigarros, a loucura de aceitar a solidão e o facto sermos apenas uma sombra ténue daquilo que fomos.

Nomeado para o Óscar de Melhor Actriz Secundária, pela interpretação de Penélope Cruz como a amante de Guido, falarei um pouco desta personagem. Acredito que, dos papéis secundários deste filme, seja este um dos mais desenvolvidos: encontramos em Carla não apenas uma amante sexy mas também uma mulher com um desejo inconsciente de amar Guido, devotando-lhe muitos dos seus sentimentos e mantendo latente o sonho cliché de que um dia a amante será a esposa. Apesar de ser sonhadora, é também inocente: sabemos que Guido nunca terá coragem de a aceitar como mais do que aquilo que para ele ela já é.

Por sua vez, a banda sonora deste filme é excelente e, como Musical, está muito bom. Relativamente ao enredo não posso dizer o mesmo, porque acho que foi dado um grande investimento para a construção da personagem Guido em detrimento das outras personagens: sinto que falta alguma densidade em algumas personagens interpretadas, por exemplo, por Nicole Kidman, Kate Hudson, Judi Dench… esperava que, na história, tivessem uma participação mais activa e que o desenrolar do filme não fosse tão parado, quase monótono (lá para o meio do filme senti-me um pouco cansado de o ver).

Quanto ao título, assenta ao filme como uma luva, visto ter recebido o mesmo nome do filme que Guido começa a realizar, marcando o seu regresso ao mundo do cinema após se ter ausentado durante uns anos. O seu novo filme, e nono, recebe o nome de ‘Nove’ e é inspirado, julgo eu, em todas as mulheres que desde sempre influenciaram aquilo que ele é.

Trailer

Avaliação: 75%

O InfoTeen deseja a todos os leitores um Bom Natal, e um Feliz Ano Novo!

Uma das disciplinas curriculares do 12º ano é Área de Projecto, onde os alunos constituem grupos para trabalharem num projecto que deverá ser desenvolvido durante o ano lectivo e apresentado no seu término. Visto que projectos como o do me grupo necessitam de alguns instrumentos de suporte,  como é o caso do nosso blog, decidi fazer este post aqui, para publicitar um pouco o nosso projecto e para que todos aqueles interessados acompanhem as nossas actividades através do blog!

Coloco aqui o nosso 1º post no blog com a nossa apresentação do projecto, que penso que vos esclarecerá quanto aos nossos objectivos:

‘Somos da Escola Secundária Filipa de Vilhena, Porto, e pertencemos à turma 12ºH (Línguas e Humanidades).

Criámos este blog no âmbito da disciplina de Área de Projecto, na qual abordaremos, ao longo do ano lectivo, o tema “Cidadania e Sociedade“. Pretendemos focar-nos na área do voluntariado, promovendo acções de solidariedade e actuando numa instituição. Para além destes aspectos esperamos conseguir alertar a comunidade escolar (e não só) da necessidade e importância deste tipo de acções.

Esperando que se interessem pelo nosso Projecto ‘Cidadania e Sociedade’, resta-me dizer-vos que até ao momento já realizámos algumas actividades numa Intituição de Idosos, sendo que todas estas actividades foram já registadas no Blog! Deixo-vos aqui o enreço:

http://cidadania-sociedade.blogspot.com/

Agradecimentos aos restantes Newposter’s por cederem este pequeno espaço!

Como o título diz e é bem verdade, o Universo Star Wars chegou a Gaia. Mais precisamente à praça do Eixo Atlântico, junto ao El Corte Inglés Gaia.  É uma exposição dedicada à Saga Star Wars que já há vários anos contagia gerações e ganha fãs por todo o mundo.
A exposição é obra de três apaixonados da saga criada por George Lucas, que desde há 32 anos coleccionam as peças que, pela primeira vez, aparecem juntas numa única mostra.

O Universo de Star Wars está divido em duas áreas, a Área Vermelha e a Área Azul.

A Área Vermelha é constituída por mais de mil peças que contam a história da saga. São 300 m2 constituídos por todo o material que foi posto no mercado entre 1977 e 1985. Artigos como bustos, estatuetas, réplicas de naves, capacetes restaurados e dioramas, entre muitas outras completam a colecção.

A Área Azul é dedicada ao primeiro episódio de Star Wars ( “A Ameaça Fantasma” ), que celebrou no passado dia 1 de Outubro, dez anos. “Nesta área encontram-se várias vitrinas, com dioramas de um nível de detalhe incrível com Micromachines e naves à escala, da colecção Action Fleet, todos estes relacionados com o filme.
São peças raras, extremamente difíceis de conseguir devido à exclusividade da série que foi lançada no mercado no Natal de 99. “

Quanto à Animação, esta não vai deixar de existir. “No dia 31 de Dezembro, com a Escola de Jedi a marcar presença diária. Durante a semana, ao fim da tarde, os cavaleiros Jedi vão combater as forças do mal, coadjuvados pelos pequenos fãs que se vão iniciar nas “artes” Jedi. As actuações decorrem ao fim da tarde, estando marcadas para as 18.00 e as 19.00 horas. Nos fins-de-semana e feriados as actuações acontecem ao meio-dia e às 18.00 horas. ”

Esta exposição é única em Portugal e, para os apaixonados da saga,é um grande acontecimento. O horário de abertura e encerramento encontra-se no site oficial,
Universo Star Wars (El Corte Ingles), assim como a informação que aqui foi publicada.

Estreia hoje em Fátima o filme entitulado de “O 13º Dia”, que recria as aparições em imagens com crianças portuguesas a viver em Inglaterra, onde o filme foi feito.

Após uma apresentação particular aos responsáveis do Santuário, a instituição reconhece neste filme “um grande valor”. “É um filme intenso e de sensibilidade apurada. Revela pesquisa, dedicação e está bem construído”.

«É uma questão bastante polémica, porque há discussão sobre o que representa a aparição, o que significa e o que viram as crianças», vincou Dominic Higgins, o realizador.

«Nós queríamos mostrar Maria porque Lúcia descreve-a e pensámos que isto seria um desafio», acrescentou Ian Higgins. Ambos os realizadores optaram por não mostrar a cara da Nossa Senhora, cobrindo-a com luz.

Neste filme de produção privada, optaram por dar à cor um valor muito precioso. O filme passa-se todo a preto e branco excepto durante as cenas das aparições e do milagre do sol.

«Mesmo quem não seja religioso poderá retirar algo, porque a mensagem é universal», garante Ian, que confessou estar ansioso por assistir à reacção do público português, após um trabalho árduo de 5 anos para preparar o filme.

O elenco é britânico, mas os três pastorinhos são crianças portuguesas, recrutadas em escolas na zona de Lemington Spa.

Fica aqui o trailer do filme:

Fonte:
Cinema IOL

Página seguinte »