Confirmaram-se, recentemente, casos de gripe A em duas escolas portuguesas (em Benfica e em Ponta Delgada), provocando o encerramento das mesmas, para evitar maior contágio. O surto de gripe A, que aumentou consideravelmente nas últimas semanas, é agora encarado pelo Ministério da Saúde como um assunto prioritário, definindo-se algumas medidas que visem na diminuição da doença.318

A Ministra da Saúde, Ana Jorge, revelou hoje, dia 8 de Julho, que a altura de maior risco de infecção do vírus H1N1 não será no início do ano escolar, mas sim no Inverno, em que as condições climatéricas podem tornar mais vulneráveis as pessoas que ficam afectadas.

«A solução não é atrasar o início do ano escolar porque se em Setembro nós estamos preocupados, estamos mais preocupados ainda com o Inverno», alega Ana Jorge, «As crianças são sempre um grupo mais afecto a problemas respiratórios. Durante o Inverno, as crianças têm muitas infecções virais porque ainda não tem as suas próprias resistências. E daí estar a ser considerado que a vacina possa também abranger as crianças».

As escolas que ainda se encontram em funcionamento estão preparadas para enfrentar qualquer problema que se relacione com a Gripe A.  A Confederação de Associação de Pais, no entanto, contrapõe a Ministra, defendendo que se as escolas não se encontrarem preparadas, o período lectivo deve começar mais tarde.

A data de início do ano lectivo está marcada para entre dia 10 e 15 de Setembro. Todavia, é de considerar que as datas podem mudar e de que podem haver períodos de encerramento de escolas, caso atinjam uma grande dimensão de contagiados.

Anúncios